sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Começa 6º FestLuso que leva teatro às ruas de Teresina


Aberto o 6° Festival de Teatro Lusófono


Teresina recebe a 6ª Edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso)


FestLuso traz peça teatral internacional



Público prestigia abertura do Festival de Teatro Lusófono

http://globotv.globo.com/rede-clube/pitv-1a-edicao/v/publico-prestigia-abertura-do-festival-de-teatro-lusofono/4418615/


Acessem o link para assistir o vídeo

Harém completa 30 anos e lança 6ª edição do Festival de Teatro Lusófono


Ministro da Cultura promete recursos para ampliar Parque Serra da Capivara

http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2015/08/ministro-da-cultura-promete-recursos-para-ampliar-parque-serra-da-capivara.html

18/08/2015 15h58 - Atualizado em 18/08/2015 18h01

Anúncio aconteceu durante solenidade no Palácio de Karnak nesta terça (18).
Ministro anunciou ainda a aplicação de R$ 1,5 milhão em cultura no Piauí.

Catarina Costa
Do G1 PI

Durante visita ao Piauí, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, garantiu recursos para a ampliação do Parque Nacional da Serra da Capivara e a aplicação de R$ 1,5 milhão para pontos de cultura no estado. Ele esteve reunido nesta terça-feira (18), no Palácio de Karnak, para o lançamento do 8º Festival de Rabecas e a sexta edição do FestLuso.

Governador do Piauí cobrou a criação de polos de
cultura no estado (Foto: Catarina Costa/G1)

"Vou discutir com o governador Wellington Dias a ampliação do parque de uma maneira que ele possa ser autossustentável. É preciso investimento, mas esperamos que, com a funcionamento do aeroporto de São Raimundo Nonato, isso possa contribuir para um retorno positivo em relação ao fomento do turismo na região e preservação do maior patrimônio cultural da humanidade", contou o ministro.

O parque vem enfrentado a sua pior crise financeira e pode fechar as portas. No início de agosto, a arqueóloga Niéde Guidon, que cuida do local desde a década de 1970, afirmou que deu aviso prévio para todos os funcionários. Em 2003, o parque tinha 270 funcionários e hoje são menos de 100. Das 28 guaritas de segurança e vigilância, apenas 12 funcionam e, com as demissões, todas devem ser fechadas.

Apesar do anunciado aporte financeiro, o ministro não deu detalhes de como e nem quando esse dinheiro seria enviado para a ampliação do Parque Nacional da Serra da Capivara.

Festluso é aberto no Theatro 4 de Setembro Angola, Moçambique, Cabo Verde, Portugal, Brasil e Macau (China) estão representados no Festival

http://www.capitalteresina.com.br/noticias/cultura/festluso-e-aberto-no-theatro-4-de-setembro-31073.html

25/08/2015 - 09:28

Até o próximo domingo, Teresina é a capital do teatro para 5 países de língua portuguesa, mais o território de Macau, na China. Angola, Moçambique, Cabo Verde, Portugal e Brasil etão representados no Festival de Teatro Lusófono, uma promoção do Grupo Harém de Teatro, apoiada pelo Governo do Piauí.

A abertura do evento, no Teatro 4 de Setembro, contou com a apresentação da peça “Um bico para velhos palhaços”, do Grupo Harém. O governador Wellington Dias enalteceu a iniciativa de promover mais uma vez o Festluso no Piauí, uma oportunidade de ofertar aos piauienses atrações internacionais.

“Aceito o desafio de fazer o Festluso anualmente. Aproveitamos esse momento para promover o desafio de propagar a cultura também pelo interior do Piauí, onde as pessoas também têm o direito de mostrar o seu talento”, disse o governador.

O Festluso é realizado a cada dois anos. Em 2015, a organização homenageia Tarcísio Prado, ator e ex-diretor do 4 de Setembro, que se fez representado pela esposa, em função de um problema de saúde. A programação prevê apresentações no Theatro 4 de Setembro, Espaço Trilhos e na praça Pedro II, com shows musicais e oficinas.

“É um intercâmbio fantástico. A partir daqui, teremos um espetáculo pensado pelo Grupo Harém com Portugal, onde teremos atores piauienses e portugueses dentro do evento”, destacou o secretário estadual da Cultura, Fábio Novo.

Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela primeira vez em Timon

http://www.timon.ma.gov.br/noticia/pecas-teatrais-do-festluso-sao-encenadas-pela-a-primeira-vez-em-timon-4466.html

Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela a primeira vez em Timon

O Festival de Teatro Lusófono – FestLuso deu as boas vindas a uma nova fase cultural que a cidade Timon está passando. A Prefeitura Municipal em parceria com o Grupo Harém de Teatro trouxe um dos mais respeitados festivais a nível nacional e internacional para a cidade. A estreia aconteceu nesta quarta-feira (26/08) no Teatro de Arena da Fundação Cidadania para um público bastante interessado.

O coordenador geral do festival, Francisco Pellé, comentou a vinda do FestLuso para Timon. “Essa é uma porta que está se abrindo para novas oportunidades, temos uma amizade com a Fundação Municipal de Cultura de Timon, pois a cidade tem potencial muito grande. Estamos abrindo um diálogo com o Governo do Maranhão para que o festival seja realizado em 2016 na capital maranhense, isso acontecendo, Timon receberá um módulo circulante no próximo ano”, comentou.

Um das peças encenadas foi:“Deus lhe dê em dobro” que relata uma história cheia de sátira e humor onde dois mendigos, ‘Tiriri’ e ‘Zonda’, falam da atual crise financeira econômica. Na história, ‘Tiriri’ não possui os braços e ‘Zonda’ é cega, cada um com suas limitações vivendo um período difícil, porém unidos conseguem superar as dificuldades e assim a peça passa uma mensagem de que a união ajuda a ultrapassar os momentos difíceis. 

Creuza Borges, diretora do espetáculo explica: “A gente passa por pessoas nas ruas e as ignoramos, temos medo dessa miséria. Falamos dos seres invisíveis que vivem nas ruas. Passamos a mensagem de que as pessoas precisam de uma política mais humana e menos monetária”. 

Quem não pôde comparecer na estreia, nesta sexta-feira (28/08) a magia do FestLuso continua com o espetáculo “Haru: a primavera do aprendiz” no auditório da Fundação a partir das 17h.

Imagem: CGCOM
Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela a primeira vez em Timon 

Imagem: CGCOM
Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela a primeira vez em Timon
Imagem: CGCOM
Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela a primeira vez em Timon 
Imagem: CGCOM
Peças teatrais do FestLuso são encenadas pela a primeira vez em Timon

Quinta de atrações cênicas e musicais no Festival do Harém

http://www.portalaz.com.br/noticia/advogados/347426_quinta_de_atracoes_cenicas_e_musicais_no_festival_d
27/08/2015 • 14:05
Por Alexandra Teodoro

O FestLuso, nesta quinta feira, traz atrações de teatro de mamulengos, espetáculos de câmara e lançamento de Livro Documentário. O Festival de Teatro Lusófono Ano Tarciso Prado consegue ser realizado com o patrocínio do Armazém Paraíba, através da isenção fiscal possibilitada via Sistema Estadual de Incentivo à Cultura – SIEC. A produção é do Grupo Harém de Teatro – 30 Anos, com o Apoio Cultural do Governo do Estado, Secretaria de Estado de Cultura do Piauí e Casa de Portugal.
Moisés Chaves encerra a programação no Espaço Cultural trilhos, nesta quinta

O grupo de Teatro de Bonecos Fantochito apresenta na praça Pedro II, às 17h, o espetáculo “A Flor do Mamulengo”. No desenrolar da história, os bonecos no gracejo de seus movimentos provocam risos e alegria, reportando o público a integrar a narrativa. A plateia vê e participa na construção da dramaturgia aberta e provocativa. O espetáculo possui forte interatividade com o público.

Já no 4 de Setembro tem lançamento do livro de Bid Lima e Raimundo Dutra, 'Abrindo as Cortinas - O Teatro como Estratégia de Ensino'. Na sequ~encia, às oito e meia d anoite, o palco do teatros erá tomado pelo espetáculo “A Nova Aragem” Grupo de Teatro Lareira, de Maputo/Moçambique em Co-produção com o Grupo Chão de Oliva, de Sintra/Portugal. 

O Teatro Estação, às 23 horas, recebe “Quando o Amor é Assim e não Assado”, do Humanitas Grupo de Teatro, de Timon. Propõe discutir as (im)possibilidades de amor, paixão, aprisionamento nas fantasias adolescentes, fascínio (in)consciente pelo melhor amigo, é mote da imersão de um homem, em vias da meia idade, ao próprio passado. E encerrando a programação da quinta, às 00h00, no Espaço Cultural Trilhos, atração musical fica por conta de Moisés Chaves e Batuque Elétrico.

Marionetes invadem Teresina no Festival de Teatro Lusófono

http://www.meionorte.com/blogs/culturaeturismo/marionetes-invadem-teresina-no-festival-de-teatro-lusofono-317015

ISABEL CARDOSO
27 de Agosto de 2015 às 09:50 ••• atualizado em 27 de Agosto de 2015 às 09:52

Fantoches, marionetes ou bonecos de manipulação. No teatro, eles encantam adultos e crianças e tem ao longo dos anos despertado o interesse de estudiosos para essa arte milenar que se mantém viva passando de geração a geração.

Maria Elisa Rocha Villaça, diretora da Escola de Artes e Ofícios, da Casa de Portugal, em Macau, estuda há quinze anos os bonecos de manipulação. Pela primeira vez no Brasil, ela veio participar do Festluso, oportunidade em que fala sobre eles, em especial, os fantoches asiáticos.

A vinda ao Piauí foi a convite do ator Francisco Pellé, do Grupo Harém, organizador do festival. “Estava em Sintra a fazer exposição de marionetes asiáticas quando conheci Pellé. Não tinha como trazer a exposição. São muitos bonecos. Ficou inviável, então optei por falar delas e a relação e sua importância”.

Elisa trabalha numa vertente pedagógica. Seu objetivo é levar a arte das marionetes a jovens e crianças despertando o gosto pela arte, além de ensinar atores em fase de construção e manipulação dos fantoches.

Na sua opinião, essa formação tem que começar na escolas. Hoje em dia as tecnologias ocupam muito os jovens e os seus interesses são diferentes do que eram antigamente. Por entende que é preciso preservar a cultura, a identidade para que não se perca com o tempo, ela busca ensinar e preservar essa arte .

“As marionetes são um marco na história e durante muito tempo foram referência. São ferramentas pedagógicas utilizadas como um divertimento, mas que ensinam a língua, a história. Tudo pode ser explorado. É importante divulgar para os jovens e fazer com que eles gostem e percebam um pouco o que podem tirar delas. A marionete quando alguém a manipula deixa de ser a pessoa. Ganha uma vida própria, as crianças conseguem dizer aquilo que sentem e aquilo que não conseguem transmitir”, ressalta.

A pesquisadora lembra que na história em todo mundo, a marionete tem uma origem em comum: a religião. Na Europa, as apresentações aconteciam dentro das igrejas, com o Concílio de Trento veio a proibição e os conflitos provocados pela retirada deles desse espaço público. Foi ai que surgiu o caráter contestador, muito comum nas apresentações dos bonecos.

Com relação a América do Sul, ela destaca uma riqueza muito grande, elementos muito interessantes da cultura popular nas arte das marionetes. Eles traziam no início uma mensagem mais rural, presente também nos personagens. As pessoas que manipulavam não tinham estudo, não conseguiam escrever nada e tudo era feito de improviso. E essa mensagem ia passando de boca a boca. “Aqui continua a ter a crítica social e o mamulengo é uma figura bem característica do Brasil. É engraçado, há um cruzamento entre os mamulengos brasileiros e os Robertos portugueses. São utilizados dentro de uma barraca com a cobertura de chita. Não temos acompanhamento musical, vocês usam”.

Assim como os bonecos brasileiros há sempre o homem e a mulher e os conflitos que permeiam as histórias e levam a uma reflexão ao final. Em Portugal, há sempre a presença de animais, relembrando as touradas que durante muito tempo foram comuns no país. No Brasil, os animais aparecem de uma forma mais ligada as pessoas.

Chama a atenção a forma como são apresentados os Robertos em Portugal. Eles têm um característica única. Quem manuseia o boneco usa uma pequena palheta de metal metida na boca e colada ao céu da boca pela pressão da língua. Quando a pessoa fala, sua voa sai alterada e com um som vibrante. “Até agora pensava que era o único país a possuir essa característica, mas encontrei uma pessoa que fazia a mesma coisa no passado na China”.

No próximo sábado, dia 29 de agosto, às 18h30, no Teatro do Boi, Elisa se apresenta com o espetáculo O Rouxinol e o Imperador. Trata-se de uma história da China antiga e os bonecos aparecem de forma direta, sendo o manipulador visto pelo público.

“Conta a história da velha China de um imperador que pensava que controlava tudo. Só que as vezes as coisas não acontecem assim. E a natureza é muito forte e mostra que a relação afetiva é muito mais importante que todos os valores materiais que se possa ter”. (Por Liliane Pedrosa)

Arquibancada do Clube dos Diários fica lotada durante FestLuso no PI

http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2015/08/arquibancada-do-clube-dos-diarios-ficou-lotada-durante-festluso-no-pi.html
26/08/2015 20h36 - Atualizado em 27/08/2015 09h22

Vários grupos de rap fizeram a abertura da programação desta quarta (26).
Festival é Idealizado e coordenado pelo Grupo Harém de Teatro do Piauí.
Ellyo TeixeiraDo G1 PI

Arquibancada ficou lotada em Teresina (Foto: Ellyo Teixeira/G1)

Durante toda semana Teresina celebrará a língua portuguesa com mais uma edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso). Nesta quarta-feira (26) shows de rap marcaram o evento. Com participação de cantores locais e também de outros estados a arquibancada do Clube dos Diários ficou lotada.

Coordenador do FestLuso, Francisco Pellé
(Foto: Ellyo Teixeira/G1)

Abrindo a noite com discurso, o coordenador do FestLuso, Francisco Pellé, destacou a importância de haver verbas destinadas à cultura no país. Sobre o evento, ele apontou o fato de, mais uma vez, haver a descentralização e variedade de espetáculos e oficinas. “Estamos com atividades durante a semana inteira no Theatro 4 de Setembro, Teatro do Boi e Espaço Cultural Trilhos. Esse evento é muito importante para a cultura piauiense e nacional”, apontou.

O coordenador acrescentou ainda que os destaques do evento é a diversidade de espetáculos oferecidos. “Aqui tem várias culturas juntas com espetáculos belíssimos. Podemos ver atrações da Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde e Moçambique. Esse é o único evento do estado a nível internacional na área de cultura”, disse.

A estudante Kátia Coller ficou encantada com o que viu e já agendou sua participação na próxima edição. “Aqui é ótimo, várias culturas juntas, música boa e gente legal. Esta é a segunda vez que participo e quero vir sempre. Já estou me planejando para 2016”, relatou.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Teresina recebe a 6ª Edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso)

http://www.tvcanal13.com/noticias/teresina-recebe-a-6a-edicao-do-festival-de-teatro-lusofono-festluso-194371.html

Atualizada em 24/08/2015 - 22h2224/08/2015 - 21h00

Imagem: Divugação

Teresina recebe a 6ª Edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso)Teresina recebeu na noite desta segunda-feira, o Festival de Teatro Lusófono - FestLuso que reúne grupos de seis países diferentes numa única língua (portuguesa). O evento está em sua 6ª edição e segue até o dia 30 de agosto.

O Festluso é gratuito e conta com grupos teatrais de vários países e cidades do Brasil (Angola, Cabo Verde, China, Portugal, Moçambique e Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Teresina).

Na solenidade de abertura que aconteceu no Theatro 4 de setembro na noite desta sexta-feira (24), se fizeram presentes o Governador do Piauí, Wellington Dias, o Secretário de Cultura, Fábio Novo, coordenadores do evento e público em geral.
Imagem: Andreia Soares

Teresina recebe a 6ª Edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso)
“Um bico para velhos palhaços” foi a peça de abertura do evento, organizado pelo grupo Harém de Teatro, que inclusive, completa 30 anos de existência.

O Governador do Estado, Wellington Dias, ressalta a missão do Estado no aspecto cultural. “Primeiro temos que fazer essa integração de volta com o Governo Federal, estruturar um casamento com a educação, não só nos pontos de cultura vinculados à oficinas, espetáculos, academia e equipamentos, mas que possamos viabilizar que espetáculos como esse possam estar em vários outros municípios do Estado, não só na capital”, afirma ele.

Imagem: Andreia Soares

Governador do Estado, Wellington Dias
O Festluso é único evento cultural e internacional realizado todo ano na capital piauiense. “Acredito que vamos cumprir a missão de levar oportunidades às pessoas para que se possa descobrir talentos em eventos como esses, em festivais e concursos culturais”, complementa Wellington Dias.

O Secretário de Cultura do Piauí, Fábio Novo destaca a importância desse evento como um intercâmbio cultural “Estamos tendo a oportunidade de ter aqui seis países trazendo a sua mais diversificada cultura através do teatro, então é uma troca fenomenal, e o mais legal, gratuito”.

Imagem: Andreia Soares
Secretário de Cultura do Piauí, Fábio Novo
O festival conta com uma programação diversificada, além das apresentações teatrais em vários pontos da cidade, oficinas e encontros, serão realizados shows musicais a partir dessa terça-feira (25) no Espaço Cultural Trilhos.

As apresentações vão acontecer em vários pontos da cidade, no Theatro 4 de setembro, no Teatro do Boi, no Teatro Estação, na Praça Pedro II e em Timon, no Maranhão. De 25 a 30 de agosto, haverá oficinas nas salas do Theatro 4 de setembro sobre intervenções e práticas de ruas.

O Festluso no Piauí é uma organização do grupo Harém de Teatro com o apoio Governo do Piauí através da Secretaria Estadual de Cultura (Secult), Sistema Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e Casa de Portugal em Macau.

Imagem: Andreia Soares

Teresina recebe a 6ª Edição do Festival de Teatro Lusófono (FestLuso)

Jornalista: Andreia Soares | Edição: Dani Sá 

“Um bico para velhos palhaços” abre Festluso no Theatro 4 de Setembro

 http://www.piaui.pi.gov.br/noticias/index/id/21420

 25/08/2015 10:47

O Festluso, este ano, traz 18 grupos de seis países.
                            Juliana Nogueira


Lepo, Nico e Lipo são os personagens que dão o tom ao espetáculo
 “Um bico para velhos palhaços”, do grupo Harém de Teatro. (Foto:Ascom Secult)


O governador Wellington Dias e o secretário estadual da Cultura, Fábio Novo, participaram da solenidade de abertura do Festluso. ( Foto: Ascom Secult)

Três “velhos” palhaços que buscam um emprego temporário e se divertem ao recordar as histórias do passado. Lepo, Nico e Lipo são os personagens que dão o tom ao espetáculo “Um bico para velhos palhaços”, do grupo Harém de Teatro. A peça, que revela o talento dos atores e a trajetória do grupo ao longo de 30 anos, abriu o Festival de Teatro Lusófono 2015, na noite dessa segunda-feira, no Theatro 4 de Setembro.

O governador Wellington Dias e o secretário estadual da Cultura, Fábio Novo, participaram da solenidade de abertura do Festluso que, neste ano, traz 18 grupos de seis países. “É um intercâmbio fantástico. Queremos propor o desafio de realizar o Festluso anualmente, com uma programação que pode ser estendida a outras cidades do Piauí”, diz o secretário estadual da Cultura, Fábio Novo, que aproveitou o momento para agradecer a dedicação do grupo Harém de Teatro com a realização do Festival.

“Temos que apoiar esse projeto. Até o dia 30, vários espetáculos vão ser realizados em Teresina, inclusive nas ruas, tudo gratuito. Nós é que temos que agradecer ao Harém pelo projeto, tão bom para o Piauí”, completa Fábio Novo.


Espetáculo “Um bico para velhos palhaços” abre o Festluso 2015. ( Foto: Ascom Secult)


O governador Wellington Dias também destaca a importância de levar essa efervescência cultural para outros municípios do estado. “Temos a compreensão da importância da cultura e do apoio do Governo do Estado nesse momento tão grandioso. Vida longa ao Festival”, afirma Wellington Dias.

O Festluso 2015 homenageia o ator e dramaturgo Tarciso Prado, que também já esteve à frente da direção do Theatro 4 de Setembro. Na solenidade, Tarciso foi representado por sua esposa, Eveline de Melo Prado, que leu, emocionada, um discurso escrito pelo marido, especialmente para a abertura do festival. “A emoção venceu o velho ator. Tudo que eu queria era assistir o Festluso deste ano. Sou todo agradecimento pela homenagem, queridos filhos do coração [se referindo aos integrantes do grupo Harém]. Feliz Festluso”, dizia.

O coordenador do Festluso, Arimatan Martins, também falou um pouco do homenageado e que, ao conhecê-lo, se apaixonou pelo teatro e virou um “mestre de almas”. “Através de Tarciso descobri o caminho da felicidade”, diz Arimatan.

Do Teatro Extremo de Portugal, Fernando Jorge Lopes, subiu ao palco para representar os grupos que participam do evento. “São dois universos unidos no festival, a arte e a língua portuguesa. Agradeço o convite”, diz.

O público lotou o Theatro 4 de Setembro e mostrou o quanto o evento é esperado pelos teresinenses. “Nossa expectativa é a melhor possível. Esperamos que o público absorva a programação. As pessoas costumam cobrar a realização do Festluso. O objetivo vai sendo atingido à medida que as companhias de teatro vão tomando conhecimento do festival, que hoje ganhou uma repercussão grandiosa. O Festluso dá visibilidade ao Piauí no mundo. O mundo sabe que aqui temos teatro de qualidade", resume o coordenador do grupo Harém e do festival, Francisco Pellé.

Programação

Nesta terça-feira (25) tem “Os sapatos que deixei cair pelo caminho”, de Cubatão-SP. O espetáculo tem início a partir das 20h30, no Theatro 4 de Setembro. Tem também a peça “Sobre borboletas”, com o grupo de Teatro Procópio Ferreira, de Teresina, a partir das 23h, no Teatro Estação.

No Espaço Cultural Trilhos haverá vários shows. Hoje (25) é a vez de Gonzaga Lu e amanhã (26) tem o conjunto Roque Moreira, logo após a programação do Teatro Estação.

Festival de Teatro Lusófono começa hoje com espetáculos de seis países

 http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2015/08/festival-de-teatro-lusofono-comeca-hoje-com-espetaculos-de-seis-paises.html

24/08/2015 12h11 - Atualizado em 24/08/2015 12h25
 
6ª edição do evento acontece em Teresina de 24 a 30 de agosto.
Participam grupos de Moçambique, Angola, Cabo Verde, Portugal e Brasil.
Do G1 PI

Teatro do Kaos de SP encenará 'Os Sapatos Que Deixei Pelo Caminho' (Foto: Sander Newton/Divulgação)

O Festival de Teatro Lusófono (FestLuso), único evento cultural e internacional realizado anualmente em Teresina, começa nesta segunda-feira (24) e reunirá este ano grupos de seis diferentes países. O festival levará a cultura do teatro às ruas, praças e casas de espetáculos, com apresentações de diferentes grupos, unidos pela mesma língua.

Na abertura, o Grupo Harém de Teatro leva ao palco do Theatro 4 de Setembro a peça "Um Bico Para Velhos Palhaços", que traz a história de três palhaços que se reencontram depois de percorrerem seus próprios mundos do riso e da felicidade. Numa sala de espera aguardam a hora para uma entrevista de emprego. Humor refinado e vena será o mote desse espetáculo que abre a maratona de apresentações do festival.
Parte das apresentações acontece no
Theatro 4 de Setembro (Foto: Catarina Costa / G1)

O evento já está em sua sexta edição com programação diversificada, reunindo peças de teatro, oficinas e shows musicais. Há grupos do Brasil (Teresina, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Salvador), Portugal, Moçambique, Angola, Cabo Verde e China (Macau).

“Quando morei em Portugal, no período de 1998 a 1999, fiz um estágio de teatro em língua portuguesa. Finalizando esse trabalho, cada um da turma ficou com a missão de dar continuidade a essa atividade, seja com encenações, palestras ou outra forma de lembrar o teatro em língua portuguesa. Então eu optei pela criação de um festival que unisse essas duas culturas em uma mesma língua”, conta o ator Francisco Pellé, coordenador do FestLuso.

O evento vai além de apresentações teatrais e paralelamente ao festival são realizados oficinas e shows musicais. As oficinas iniciaram ontem (20) e seguem até segunda-feira (24), das 9h às 12h, na Escola Técnica Estadual de Teatro Professor José Gomes Campos. A ministrante é a professora Vanéssia Gomes, do Grupo Caretas de Teatro de Rua, da cidade de Fortaleza – CE.

Os shows musicais acontecem a partir da terça-feira (25) no Espaço Cultural Trilhos. A programação conta com apresentações das bandas locais Bia e os Becks, Uns Pereira da Silva, Gonzaga Lu, Conjunto Roque Moreira, Moisés Chaves e Batuque Elétrico e Cochá/Grupo Recantos. O Festluso é uma realização do grupo Harém de Teatro com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura.

domingo, 23 de agosto de 2015

FestLuso traz grupos internacionais de teatro para Teresina

http://cidadeverde.com/noticias/200578/festluso-traz-grupos-internacionais-de-teatro-para-teresina

Em sua sexta edição, o Festival de Teatro Lusófono (FestLuso) reunirá grupos de seis diferentes países em Teresina. O festival leva a cultura do teatro às ruas, praças e casas de espetáculos, com apresentações de diferentes grupos, unidos pela mesma língua. O evento começa na próxima segunda-feira (24) e vai até dia 30 de agosto.


Com programação diversificada, o FestLuso, reúne peças de teatro, oficinas e shows musicais. Há grupos do Brasil (Teresina, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Salvador), Portugal, Moçambique, Angola, Cabo Verde e China (Macau).

O coordenador do evento, Francisco Pellé, comentou sobre a criação do FestLuso. "Quando morei em Portugal, no período de 1998 a 1999, fiz um estágio de teatro em língua portuguesa. Finalizando esse trabalho, cada um da turma ficou com a missão de dar continuidade a essa atividade, seja com encenações, palestras ou outra forma de lembrar o teatro em língua portuguesa. Então eu optei pela criação de um festival que unisse essas duas culturas em uma mesma língua”, disse o ator.

O evento vai além de apresentações teatrais e paralelamente ao festival são realizados oficinas e shows musicais. As oficinas iniciaram ontem (20) e seguem até segunda-feira (24), das 9h às 12h, na Escola Técnica Estadual de Teatro Professor José Gomes Campos. A ministrante é a professora Vanéssia Gomes, do Grupo Caretas de Teatro de Rua, da cidade de Fortaleza – CE.

Os shows musicais acontecem a partir da terça-feira (25) no Espaço Cultural Trilhos. A programação conta com apresentações das bandas locais Bia e os Becks, Uns Pereira da Silva, Gonzaga Lu, Conjunto Roque Moreira, Moisés Chaves e Batuque Elétrico e Cochá/Grupo Recantos. O Festluso é uma realização do grupo Harém de Teatro com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura. 

Da redação
redacao@cidadeverde.com

Primeira noite de Lusófono terá "Um Bico para Velhos Palhaços"

Primeira noite de Lusófono terá "Um Bico para Velhos Palhaços"
Por Alexandra Teodoro

A partir desta segunda-feira (24) Teresina vai respirar os ares do Festival de Teatro Lusófono, em diversos pontos da cidade. A 6ª Edição do evento traz interações sócio culturais que ampliam mais as fronteiras da lusofonia.

De acordo com a produção do Festluso, as apresentações vão acontecer na Praça Pedro II, no Theatro 4 de Setembro, Teatro Estação, Teatro do Boi e em Timon, no Maranhão. Na segunda, o Grupo Harém de Teatro inicia os trabalhos às 20h30, no palco do Theatro 4 de Setembro. Vai apresnetar a peça “Um bico para Velhos Palhaços”, do autor romeno Matéi Visniec.

É a história de três palhaços que se reencontram depois de percorrerem seus próprios mundos do riso e da felicidade. Numa sala de espera aguardam a hora para uma entrevista de emprego. Humor refinado e venal, picardias perversas e ironias de caprichos da inteligência da e à cena brasileira, colhidos da pedra base do riso romeno à expansão hareniana, será o mote da felicidade na abertura da cena lusófona no 4 de Setembro.

A encenação do Harém leva algumas assinaturas importantes para a história da dramaturgia local. A direção é de Arimatan Martins, em cena Fernando Freitas, Francisco de Castro e Francisco Pellé. Arrematando, tem na produção produção executiva, Soraya Guimarães. Sem esquecer da iluminação, feita por Assai Campelo e cenografia e adereços, Manu Andrade. Bid Lima assina o figurino, além de pesquisa e música incidental, por Zé Dantas. Daniel Hulk assina a trilha sonora e o grupo tem a consultoria de corpo e movimento, de Lenora Lobo. 
Na terça feira, 25, tem apresnetação no Teatro do Boi, às 18h30, com “Um punhado de terra”, montagem do Teatro Art’Imagem, de Porto, Portugal. Na agenda do Theatro 4 de Setembro, às 20h30, a peça “Os sapatos que deixei pelo caminho”, Teatro do Kaos, de Cubatão, São Paulo. No Teatro Estação (Miguel Rosa com Frei Serafim, antiga Estação Ferroviária RFFSA), às 23h, na Mostra HomoAfetiva, o espetáculo “Sobre Borboleta”, do Grupo de Teatro “Procópio Ferreira”, de Teresina, Brasil.

Festival de Teatro Lusófono reúne grupo de língua portuguesa em THE

Festival de Teatro Lusófono reúne grupo de língua portuguesa em THE

PUBLICADO POR

Fabrize Lima
Repórter







De 24 a 30 de agosto, na Praça Pedro II, Theatro 4 de Setembro, Teatro Estação, Teatro do Boi e em Timon, no Maranhão, a cena lusófona ganha os palcos e mostra em Teresina a produção teatral nos países que falam a língua portuguesa. É o Festival de Teatro Lusófono, o FestLuso 2015, que chega à sua sexta edição.

Teresina, Cubatão (SP), Luanda (Angola), Maputo (Moçambique), Porto (Portugal), Sintra (Portugal), Recife (Pernambuco), Macau (China), Salvador (Bahia), Timon (MA), Rio de Janeiro (RJ), Mindelo (Cabo Verde), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Almada (Portugal) mostram a produção na área teatral.

Já nesta segunda-feira, 24, o Grupo Harém de Teatro abre a cena e recepciona o público , às 20h30, no Theatro 4 de Setembro, mostrando sua última montagem, Um bico para Velhos Palhaços, texto do romeno Matéi Visniec.

Três palhaços se reencontram depois de percorrerem seus próprios mundos do riso e da felicidade. Numa sala de espera aguardam a hora para uma entrevista de emprego. Humor refinado e muita ironia marcam a peça que tem direção de Arimatan Martins e reúne os atores Fernando Freitas, Francisco de Castro e Francisco Pellé.

Produção executiva, Soraya Guimarães; iluminação, Assai Campelo; cenografia e adereços, Manu Andrade; figurinos, Bid Lima; pesquisa e música incidental, Zé Dantas; músicas compostas Daniel Hulk e consultoria de corpo e movimento de Lenora Lobo.

A programação do Festluso traz, além dos espetáculos, teatro na rua, oficinas, encontros e muito mais. Na terça-feira, 25, os espetáculos acontecem no Teatro do Boi, às 18h30, com Um punhado de terra, montagem do Teatro Art’Imagem, de Porto; no Theatro 4 de Setembro, às 20h30, a peça Os sapatos que deixei pelo caminho, Teatro do Kaos, de Cubatão (SP); e no Teatro Estação (antiga Estação Ferroviária), às 23h, na Mostra HomoAfetiva, o espetáculo Sobre Borboleta, do Grupo de Teatro Procópio Ferreira.

Logo após as apresentações, shows musicais no Espaço Cultural Trilhos. Dia 25 a atração é Gonzaga Lu.

Em sua sexta edição, o evento reúne linguagens e amplia a territorialidade do teatro sem fronteiras aproximando pessoas e grupos através da arte.

A produção é do Grupo Harém de Teatro que completa 30 anos. 

O Apoio Cultural chega através da Casa de Portugal em Macau; Sistema Estadual de Incentivo à Cultura SIEC; Secretaria de Estado da Cultura do Piauí.

De acordo com Francisco Pellé, integrante do grupo Harém e da coordenação do festival, o Festluso é importante porque possibilita que o Piauí receba grandes espetáculos criando um intercâmbio entre o Brasil e os países de língua portuguesa.

“Coloca o Brasil num importante patamar em relação ao desempenho de conhecimento e integração da língua portuguesa”, diz, ressaltando ainda a declaração do ministro da Cultura, Juca Ferreira, so-bre o evento.

“Em sua passagem por Teresina ele falou da importância desse evento que é feito no Piauí e que não é só um evento local, mas de politicas públicas de integração da língua portuguesa em nível internacional. E esse é um dos principais objetivos dele”.
        
Tópico: festival de teatro lusófono
 FO

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Ministro da Cultura participa do lançamento do Festival da Rabeca e do Festluso

Ministro da Cultura participa do lançamento do Festival da Rabeca e do Festluso

A solenidade contou com a presença do Ministro da Cultura, Juca Ferreira, do governador Wellington Dias e do Secretário de Cultura, Fábio Novo, dentre outras autoridades.

LUIZ CARLOS JÚNIOR, DO GP1
Atualizada em 18/08/2015 - 16h23
 Foi lançada nesta terça-feira (18), no Palácio de Karnak, a 8ª edição do Festival da Rabeca e a 6ª edição do Festival de Teatro Lusófono – Festluso. A solenidade contou com a presença do Ministro da Cultura, Juca Ferreira, do governador Wellington Dias e do Secretário de Cultura, Fábio Novo, dentre outras autoridades e representantes da classe cultural. 
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas
O deputado estadual licenciado e atual Secretário de Cultura, Fábio Novo, ressaltou a importância do festival para o fomento da prática do instrumento e destacou o crescimento do evento no decorrer de suas edições. 
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Secretário Fábio Novo
“Essas rabecas desses meninos já são confeccionadas por eles em Bom Jesus, onde nós temos um professor permanente, a primeira escola de rabecas do Brasil. Nós fizemos uma pesquisa onde constatamos que há mais de 300 anos a rabeca é tocada na região sul do Estado do Piauí e formalizamos o festival que ganhou, inclusive, dimensão internacional. Ano passado nós recebemos rabequeiros de 12 estados do Brasil, Portugal, Espanha e África”, destacou o secretário. 
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Ministro Juca Vieira 
O ministro da Cultura afirmou que o Ministério sempre apoiará manifestações que visem preservar a identidade cultural dos estados. “É importantíssima a preservação do patrimônio, tanto material quanto imaterial e o Piauí é um dos Estados que têm uma densidade cultural forte e é preciso apoiar o Governo do Estado e as Prefeituras”, destacou o Ministro. 
Wellington Dias destacou que a cultura deve ser pensada para além do resgate do patrimônio histórico, mas como geradora de divisas para o Estado. 

“Nós pensamos a cultura não só como resgate do nosso patrimônio histórico e tudo mais que traga o sentimento de alto estima, mas cultura também como desenvolvimento econômico”, afirmou. 
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas
Imagem: Lucas Dias/GP1Lançamento Festival das Rabecas(Imagem:Lucas Dias/GP1)Lançamento Festival das Rabecas

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

TODAS AS CORES DA LUSOFONIA

video

Festival lusófono estreita fronteiras culturais na capital piauiense

Festival lusófono estreita fronteiras culturais na capital piauiense

Da redação do Portal AZ


A programação do Festival Lusófono vai reunir à partir da próxima semana, na capital, diversas manifestações culturais que envolvem países de lígua portuguesa. O lançamento é nesta segunda, 17, às 19 horas, no Café Literário “Genu Moraes”.

O Grupo Harém de Teatro completa 30 anos e realiza esse que é o 6º. Festival de Teatro Lusófono, com a ideia do Teatro Sem Fronteiras. O evento será realizado de 24 a 30 de agosto, nos tradicionais espaços culturais que Teresina abriga: Theatro 4 de Setembro, Espaço Trilhos/Teatro Estação, Teatro do Boi (Matadouro); Praça Pedro II à Mostra Teatro de Rua e em Timon, no Maranhão.

Francisco Pelé: Harém comemora 30 anos e abre 6ª Edição do festluso
No lançamento, o Harém vai apresentar a programação oficial que inclui, além das apresentações, oficinas e palestras, que integram o chamado programa formativo. Por aqui passarão os Grupos e Cias. Cênicas, Harém de Teatro (Teresina, Piauí); Teatro do Kaos (Cubatão, São Paulo); Cia. de Teatro Dadaísta (Luanda, Angola); Grupo de Teatro Lareira/Chão de Oliva (Maputo, Moçambique); Teatro Art’Imagem (Porto, Portugal); Chão de Oliva (Sintra, Portugal); Grupo de Teatro Pesquisa (Teresina, Piauí). 

Participam ainda, o Piauhy Estúdio das Artes (Teresina, Piauí); Elisa Vilaça (Macau, China); Rapha SantaCruz Produções Artísticas (Recife, Pernambuco); Grupo Oficina de Teatro Procópio Ferreira (Teresina, Piauí); A Outra Cia. de Teatro (Salvador, Bahia); Humanítas Grupo de Teatro (Timon, Maranhão); Teatro do Duplo (Rio e Janeiro, RJ/Parnaíba); Grupo de Teatro do Centro Cultural Português IC Mindelo (Mindelo, Cabo Verde).

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Abertas as fronteiras da Lusofonia

O Rouxinol e o Imperador - Macau -China 

Nesta segunda feira, 17, a partir das 19 horas, no Café Literário “Genu Moraes”, a Coordenação do FestLuso e Grupo Harém de Teatro lançam, oficialmente, o 6º. Festival de Teatro Lusófono. Em sua sexta edição, o FestLuso abre as chancelas às línguas, linguagens, falas e vozes lusófonas e amplia a territorialidade do Teatro Sem Fronteiras.

O 6º. FestLuso acontece de 24 a 30 de agosto e espalhará arte e cultura, de tronco comum lusófono, para ser consumido por Teresina, nas Casas de espetáculos Theatro 4 de Setembro, Espaço Trilhos/Teatro Estação, Teatro do Boi (Matadouro); na Praça Pedro II à Mostra Teatro de Rua e, atravessando o Velho Monge, instala barraca de atos e desatos cênicos também em Timon, no Maranhão.

O FestLuso 2015 tem o patrocínio do Armazém Paraíba. A Produção é do Grupo Harém de Teatro 30 Anos. O Apoio Cultural chega através da Casa de Portugal em Macau; Sistema Estadual de Incentivo à Cultura SIEC; Secretaria de Estado da Cultura do Piauí e Piauí Governo do Estado.

Na segunda feira, será apresentada ao público lusófono a Programação oficial que preencherá de alegria contagiante e interações estéticas. O diverso conspirado ao universo da Lusofonia, o mapa de ações aos espetáculos, programa formativo (oficinas e palestras), roteiros da felicidade planejada pelas dramaturgias produzidas ao palco nacional da Cena Lusófona aproximada.

A capital do Teatro do mundo Lusófono é logo aqui e ali e alhures, Teresina Piauí Brasil. Pelos palcos, tablados, Praça e Salas de recepção cênica locais passarão os Grupos e Cias. Cênicas, Harém de Teatro (Teresina, Piauí); Teatro do Kaos (Cubatão, São Paulo); Cia. de Teatro Dadaísta (Luanda, Angola); Grupo de Teatro Lareira/Chão de Oliva (Maputo, Moçambique); Teatro Art’Imagem (Porto, Portugal); Chão de Oliva (Sintra, Portugal); Grupo de Teatro Pesquisa (Teresina, Piauí).

Também endossam tempo de felicidades teatrais, Piauhy Estúdio das Artes (Teresina, Piauí); Elisa Vilaça (Macau, China); Rapha SantaCruz Produções Artísticas (Recife, Pernambuco); Grupo Oficina de Teatro Procópio Ferreira (Teresina, Piauí); A Outra Cia. de Teatro (Salvador, Bahia); Humanítas Grupo de Teatro (Timon, Maranhão); Teatro do Duplo (Rio e Janeiro, RJ/Parnaíba); Grupo de Teatro do Centro Cultural Português IC Mindelo (Mindelo, Cabo Verde).

E completam a Festa da Lusofonia o Grupo Teatro de Caretas (Fortaleza, Ceará); Mamulengo Fantochito (Teresina, Piauí); Cia. Dragão 7 de Teatro (São Paulo, SP). 

No Programa Formativo, de Oficinas e Palestras (práxis Oficina Teatro de Rua, Práticas de Rua, Performances, intervenções e pensamentos, Formas de habitar a cidade) atomizam arte e cultura à comunidade o Grupo Caretas de Teatro de Rua (Vanéssia Gomes, Fortaleza, CE); A Outra Cia. de Teatro (Luiz Antonio Sena Junior, Salvador, BA); Teatro Art’Imagem (Daniela Pêgo, Porto, Portugal); Projeto Vozes da Terra/Museu de Marionetas de Macau (Palestra com Elisa Vilaça, Macau, China) e Teatro Extremo de Almada (Performance Multidisciplinar, facilitada por Fernando Jorge Lopes, Almada, Portugal).

E, na segunda feira, 17, é só o pontapé inicial desse Grande encontro de línguas do tronco comum de terras e fronteiras abertas à Lusofonia. Cumpra sua Lusofonia, curta o FestLuso 2015.

Serviço:
Lançamento do FestLuso 2015
dia 17 de agosto
às 19 horas
no Café Literário “Genu Moraes”
Fronteiras Livres: Entradas e bandeiras lusófonas Francas!

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Começa o processo de inscrições ao Programa Formativo FestLuso

As inscrições ao Programa Formativo FestLuso, Festival de Teatro Lusófono 2015. O Programa Formativo Lusófono abre as fronteiras para Oficinas, Conferência (espetáculo), encontros com artistas e diretores.

As inscrições são gratuitas e o processo poderá ser feito pelas redes sociais, via WhatsApp. Informações e inscrições no WhatsApp 99811 6652, com Silmara Silva. A agilidade com que as pessoas se intercomunicam pelos canais de fluxos comunicacionais imediatos é o que nos abre mais essa perspectiva de contato ágil para as inscrições deste ano.

1. Oficina Teatro de Rua - Práticas de rua. Performances, intervenções e pensamentos. Formas de habitar a cidade.
de 20 a 24/08 – (Quinta  feira a Segunda feira ) - 09h - 12h
Ministrante: Vanéssia Gomes - Grupo Caretas de Teatro de Rua - CE/Brasil
Local: Escola Técnica Estadual de Teatro José Gomes Campos
Nº de Participantes: 25 vagas

2. Oficina Teatro Documentário: nem tudo é ficção
25 a 28/08 – (Terça feira a Sexta) - 09h – 12h
Ministrante: Luiz Antonio Sena Junior – A Outra Cia. de Teatro – BA/Brasil
Local: Theatro 4 de Setembro (Sala de Oficinas)
Nº de Participantes: 25 vagas

3. Oficina Voz em Gil Vicente
25 a 28/09 – (Terça feira a Sexta) 14h – 18h
Ministrante: Daniela Pêgo - Teatro Art’Imagem - Porto/Portugal
Local: Theatro 4 de Setembro (Sala Oficina Procópio Ferreira)
Nº de Participantes: 25 vagas

4. Projetos Vozes da Terra – “As Marionetas Asiáticas – Raízes Culturais”- 
26/08 – (Quarta feira)
Horário: 10h
Palestra com Elisa Vilaça – Curadora do Museu de Marionetas de Macau - (em fase de implementação), sob a tutela da Casa de Portugal em Macau.
Local: Sala Torquato Neto
Nº de Participantes: 70 vagas

Programa Formativo FestLuso - Oficinas Palestras espetáculo Lusófonas
- 05 ações -
de 20 a 30 de agosto

Informações WhatsApp: WhatsApp 99811 6652, com Silmara Silva, ou pelos telefones 86 99975 8155/ 86 999467710/ 86 994062842 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A GRANDE FESTA

Em estreia mundial "A Grande Festa" é uma co-produção entre o FestLuso e o Teatro Extremo de Almada, Portugal.
Uma performance multidisciplinar dirigida pelo diretor artístico do Teatro Extremo, Fernando Jorge Lopes, que conta com a participação de artistas Piauienses de várias disciplinas artísticas e promete oferecer, a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos, uma visão em fragmentos lúcidos e lúdicos do mundo contemporâneo. 







domingo, 2 de agosto de 2015

PROGRAMA FORMATIVO DO FESTLUSO 2015



 O Festival de Teatro Lusófono-Festluso-2015, abre inscrições a partir do 15/08 para seu programa formativo. As inscrições serão realizados através do email: programaformativo0@gmail.com.

20 a 24/08 – (quarta-feira a sábado)- 09h- 12h
Teatro de Rua – Grupo Caretas de Teatro de Rua - CE/Brasil
Ministrante: Vanessia Gomes
Práticas de rua. Performances, intervenções e pensamentos. Formas de habitar a cidade.
Local: Escola Técnica Estadual de Teatro José Gomes Campos
N° de participante: 25 vagas

25 a 29/08 – (terça-feira a sexta)-09h - 12h
Teatro Documentário: nem tudo é ficção
 Ministrante: Luiz Antonio Sena Junior - A Outra Cia.de Teatro-BA/Brasil
Local: Theatro 4 de Setembro( Sala de Oficinas)
N° de participantes: 25 vagas

25 a 28/09 – (terça-feira a sexta )- 14h- 18h
Interpretação Teatral
Ministrantes:  Daniela Pêgo e Flávio Hamilton - Teatro Art'Imagem- Porto/Portugal
Local: Theatro 4 de Setembro ( Sala Oficina  Procópio Ferreira)
N°de participantes: 25 vagas

26/08(Quarta-Feira) Projetos Vozes da Terra – “As Marionetas Asiáticas – Raízes Culturais”- Conferência com Elisa Vilaça – Curadora do Museu de Marionetas de Macau(em fase de implantação) sob a tutela da Casa de Portugal em Macau.
Local: Sala Torquato Neto
Horário: 10h
Nº de participantes: 70 vagas