segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Saudações Lusófonas


O Grupo Harém de Teatro e toda sua equipe de trabalho, após uma semana cheia de atrações, intenções reafirmadas e estreitamento de fronteiras sócio culturais possíveis e imagináveis, através do Festival de Teatro Lusófono - FESTLUSO 2013, vem agradecer a todos e a todas que tornaram concreto este grande encontro de nações lusófonas e linguagens à cena ampliada da língua portuguesa.

Numa Semana da Lusofonia, espetáculos, lançamento de livros, seminários, oficinas, workshops, encontro com diretores lusófonos, shows com artistas locais e de nações convidadas, cada um contribuinte com sua arte e linguagem de confluir vida, história, memória e sociedade representada.

Nossas saudações lusófonas vão para as nações de África, Portugal e Brasil que atenderam ao nosso convite e, prontamente, demonstraram sua língua, linguagem, falas e arte experimentadas para dividirem com nosotros. Agradecemos aos artistas e companhias cênicas, Companhia de Teatro Os Satyros, de São Paulo - SP "Inferno na Paisagem Belga"; Grupo Teatral Henrique Artes, de Luanda - Angola "A Orfã do Rei"; Grupo de Teatro Mutumbela Gogo, de Maputo - Moçambique "Há Tigres no Gongo?"; Quinta Parede/Grupo Cassefaz, de Portugal "O Medo Azul"; Grupo de Teatro Santa Ignorância Cia. de Artes, de São Luís - Maranhão "Pão com Ovo"; Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo, de São Vicente - Cabo Verde "Desespero"; Mágico Rapha Santacruz, de Recife - Pernambuco "Expedição AbraCASAbra"; Teatro Extremo, de Almada - Portugal "Salamaleque, uma história das arábias"; Companhia A.S.S de Dança e Teatro, de Teresina - Piauí "Boa Noite Cinderela"; Cia. de Teatro da Tribo, de Teresina - Piauí "Pink, um musical de todas as cores"; Grupo Mosay de Teatro, de Teresina - Piauí "Apareceu a Margarida"; Grupo de Teatro o Grito, de Almada - Portugal "O TEATRO de Emma Santos"; Oficina Permanente de Teatro "Procópio Ferreira", de Teresina - Piauí "Os Sobreviventes"; Adalmir Miranda e Intervenção Clowns com os participantes do Curso de Intepretação – Comédia Circense e Elementos do Circo, de Teresina – Piauí “Entre tapas e beijos” e “Malabares Gravitacional”; Grupo Cordão de Teatro, de Açailândia - Maranhão "Enquanto Shakespeare não vem".

O Festival de Teatro Lusófono agradece o patrocínio da OI, através do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura – SIEC, e o apoio da OI Futuro – Instituto de Responsabilidade Social, Governo do Estado do Piauí/Fundac e Prefeitura de Teresina/Fundação Cultural Monsenhor Chaves. E não poderia prescindir de agradecimentos aos equipamentos culturais que, prontamente, foram parceiros de serviços ao maior desempenho do FESTLUSO. Theatro 4 de Setembro, Teatro do Boi, Casa da Cultura de Teresina, Sala Torquato Neto, Galeria do Clube dos Diários, Espaço Cultural “Osório Jr.” e Bar do Clube dos Diários, Escola Técnica de Teatro Prof. “Gomes Campos”, Galpão II do Espaço Cultural Trilhos, Teatro Estação.

A coordenação geral do FESTLUSO e todo o corpo da equipe realizadora desse evento agradecem, especialmente, as nações e grupos convidados que, embora com agenda confirmada, não puderam finalizar compromisso em nossa programação. O Grupo de Teatro do Centro Cultural Português IC, de Mindelo – Cabo Verde “Teorema do Silêncio” e o Grupo Cultural da Universidade São Tomas de Moçambique Panfectas USTM – Moçambique não nos puderam demonstrar, dessa vez, sua arte de representação na cena lusófona, aqui instaurada.

Não poderíamos deixar de registrar, para efeitos de história e memória desse movimento, a não chegada, ao território da lusofonia, do espanhol Enano Torres, vindo de Lisboa, que teve a entrada impedida em território brasileiro. A partir do aeroporto de Fortaleza – Ceará, o artista foi devolvido a sua pátria. Por questões diplomáticas e de endurecimento de tratados em relações de trânsito entre Espanha e Brasil, o ator acabou penalizado e não confirmou sua contribuição na Oficina de Clown “Em Busca do Nosso Próprio Palhaço”, que seria realizada na Escola Técnica de Teatro professor “Gomes Campos”, de 27 a 29 de agosto, das 9h às 13h. Também não foi possível a apresentação da Enano Torres Free Artist – Street Clown (natural de Cadis – Espanha – residente em Portugal há 15 anos) com o espetáculo “Red Chocolate” que ocorreria na Praça Pedro II, às 17h, do dia 29 de agosto, como ação de Teatro Na Rua. Bem como a Ação Social, planejada pelo FESTLUSO, no Hospital Infantil “Lucídio Portela”, às 10h, do dia 30 de agosto. A ação, “Os Remédios do Riso” com os Doutores Palhaços – Dr. Alta-Mente e Dr. Nano Sirene.

Assim como todos que aqui aguardavam a vinda do artista, também ele indignou-se com o tratamento recebido em território brasileiro e manifestou-se via carta aberta nas redes sociais:


Por: Maneco Nascimento