quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Espetáculo português faz estreia internacional em Teresina

Num mundo cheio de pressas, José Maria representa a criança que tenta descobrir o mundo à sua altura. Rodeado de situações onde o seu tamanho é constantemente posto em causa, a criança tenta descobrir o seu papel na realidade dos adultos. Esse o principal mote do espetáculo “O Tamanho da Minha Altura”, da companhia portuguesa Gato Que Ladra, que faz estreia internacional nesta sexta-feira (19) dentro da programação do FestLuso.

Tendo como base o livro homônimo, com textos de Suzana Ramos e ilustrações de Marta Neto, este espetáculo pretende, através das dúvidas do José Maria, relembrar-nos o quão difícil pode ser descobrimo-nos num mundo feito a uma escala tão diferente do nosso tamanho. 

José Maria apreende o seu mundo através da forma como se relaciona com a avó. Com ela forma uma “espécie de almofada de felicidade”, em oposição às respostas curtas e racionais que os pais dão às suas pequenas grandes perguntas. É esta relação física primária de reação e adaptação a um Mundo infinito que serve como ponto de partida neste projeto.

“O Tamanho da Minha Altura” terá apresentação única às 10h, no Theatro 4 de setembro. Como todos os espetáculos do FestLuso 2010, que é patrocinado pela Oi e tem apoio cutural do Oi Futuro, Ministério da Cutura, Funarte e Siec, a entrada é gratuita.


Ficha Técnica
Encenadora: Maria João Miguel
Atriz: Silvia Figueiredo
Ator: Pedro Luzindro
Diretor Técnico: Nuno Gomes

Teatro de Rua se apresenta hoje na Praça Pedro II dentro da programação do Festluso


O Teatro de Rua será destaque na tarde desta quinta-feira (18) às 17 h na Praça Pedro II e a apresentações é parte da programação do III Festival de Teatro Lusófono que é uma realização do Grupo Harém de Teatro.
O espetáculo conta a história de Romeu e Julieta, de William Shakespeare, uma história que muita gente já conhece. Só que o que ninguém sabe é que a verdadeira história deste casal se passou em Teresina, no Piauí e em Timon, no Maranhão. Julieta, uma Escapuleta, se apaixona por Romeu, um Montecctimon, e a partir daí os dois jovem vivem grandes desafios cômicos para manter esse amor vivo, já que o rei, pai de Julieta, não admite o romance dos dois. Romeu e Julieta decidem fugir para Timon City e assim manter esse amor vivo e bem longe de seus pais, e é justamente quando decidem fugir que os problemas aparecem.





O festival tem o patrocínio Oi com apoio cultural do Instituto Oi Futuro, e ainda com apoio do Ministério da Cultura, Governo do Estado do Piauí, Prefeitura de Teresina, Funarte e Siec.

Ficha Artística e Técnica
A VERDADEIRA HISTÓRIA DE ROMEU E JULIETA - Grupo Sinos de Teatro de Rua - Teresina – Piauí – Brasil.
Texto: William Shakespeare
Adaptação e Direção: Jean Pessoa 
Elenco: Alinie Moura, Isa Marília, Rafaela Fontenelle, Thiago Saraiva, Cléverson Rodrigues, Alex Reis e Jean Pessoa
Maquiagem: O Grupo
Sonoplastia: Cléverson Rodrigues
Figurino: Alinie Moura, Rafaela Fontenelle. Jean Pessoa
Produção: Jean Pessoa
Duração: 40 min. Recomendação: livre. Gênero: comédia.
Local: Pátio do Teatro Municipal João Paulo II

Espetáculo moçambicano é atração desta quinta o FestLuso 2010


Na noite desta quinta-feira (18), o Theatro 4 de Setembro recebe o espetáculo “A Cavaqueira do Poste”, às 20h30. A montagem moçambicana é uma das representantes de África no festival, que segue até o dia 21 (domingo).
O espetáculo foi escrito por um dos próprios atores do grupo Mutxeco, que está pela primeira vez no Brasil. Sérgio Mabombo encontrou inspiração ao ouvir a conversa de dois mendigos sobre a redução no número de esmolas que recebem, provavelmente por conta da crise econômica que abalou o mundo entre 2007 e 2008.
Esta é a segunda vez que Moçambique participa do FestLuso. Na primeira edição, o país esteve representado pelo solo do ator Clemente Tsamba, que foi sucesso de críticas na capital.
Ainda na noite desta quinta, dentro da programação do FestLuso, acontecem os espetáculos “O Falar Non Tem Cancelas”, no Teatro Municipal João Paulo II, e “A Casa de Bernarda Alba”, no Teatro Estação. Todos com entrada franca. Os ingressos estarão disponíveis a partir das 14h nas bilheterias dos teatros.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Teresina recebe pela primeira vez um espetáculo em galego


O Falar Non Ten Cancelas” é a atração desta quarta-feira (17) no FestLuso 2010.
Pela primeira vez, Teresina receberá um espetáculo em um dos dialetos mais antigos e do mundo e quase extinto: o galego. O espetáculo “O Falar Non Tem Cancelas”, da Galicia, região independente da Espanha,  se apresenta na noite desta quarta-feira (17), às 20h30 no Theatro 4 de Setembro, dentro da programação do FestLuso 2010.
Conduzida pelo ator Cándido Pazó, a peça retrata uma série de causos voltados para uma das questões primeiras desse festival: a língua. Integrante do grupo SaraBela Teatro, Pazó tem uma carreira de mais de 30 anos atuando, dirigindo e escrevendo textos para teatro.
O Sarabela Teatro foi criado em 1980 e dono de grandes prêmios de teatro na Europa. O grupo galego faz sua primeira apresentação no Brasil e participa Festival de Teatro Lusófono. A Galícia foi apenas recentemente integrada à comunidade lusófona por ter um dialeto mais próximo do português do que do espanhol.
O FestLuso 2010, patrocinado pela Oi e com apoio cultural Oi Futuro, segue até o dia 21 e conta com uma programação inteiramente gratuita. Os ingressos para “O Falar Non Tem Cancelas” e dos demais espetáculos devem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 14h. Maiores informações 3223-2325.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Vencedor do Prêmio Shell, ator do “Tropa de Elite 2” se apresenta no FestLuso nesta terça


Júlio Adrião apresenta seu solo no Theatro 4 de setembro, às 20h30.
Na noite desta terça-feira (16), dando seguimento à programação do FestLuso, o Theatro 4 de Setembro recebe o espetáculo “A Descoberta das Américas”.  A partir das 20h30, o solo promete arrebatar o público com a interpretação de Júlio Adrião, que interpreta o governador Gelino no sequência “Tropa de Elite 2”, sucesso de crítica.
Contando a outra história da descoberta das Américas, a peça é inspirada em fatos reais que ocorreram na Flórida e foram contados pelo cronista Cabeça de Vaca. Mas a história poderia ser bem daqui, da terra brasileira.


Júlio Adrião em "A descoberta das Américas"

 Acontece que um Zé ninguém chamado Johan, rústico, malandro e fanfarrão, que se vira contando vantagens, sempre em fuga da fogueira da Inquisição, embarca em Sevilha numa das Caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, o nosso herói sobrevive a um naufrágio; testemunha a matança; aprende a língua dos nativos; é preso, escravizado e quase engolido pelos índios antropófagos. Safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como Filho da Lua, ele treina, catequiza e guia os índios num exército de libertação que acaba caçando os espanhóis invasores.
Júlio Adrião dá corpo e forma ao texto escrito pelo italiano Dario Fo, uma tradução e adaptação do próprio ator e da diretora Alessandra Vannucci, prometendo. Utilizando recursos circenses e de onomatopéia, Júlio trabalha ainda com muita inteligência e humor para contar a história do pobretão metido a esperto.
O ator já participou da minisérie Amazônia e interpretou Távora, um ex-militante da Coluna Prestes que acabou alfabetizando Chico Mendes. Ganhou ainda, no ano de 2005, o Prêmio Shell de Melhor Ator.
O FestLuso 2010, que conta com o patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro, Ministério da Cultura, Funarte e Siec, inova este ano com uma programação inteiramente gratuita. O público pode resgatar os ingressos na bilheteria dos teatros a partir das 14h. 

domingo, 14 de novembro de 2010

FestLuso 2010 abre nesta segunda-feira com a consagrada “Raimunda Pinto”

Festival segue até o dia 21 com programação inteiramente gratuita.

A partir desta segunda-feira (15), Teresina se torna a capital mundial da lusofonia. A 3ª edição do FestLuso – Festival de Teatro Lusófono – traz à cidade artistas de 6 países da comunidade lusófona para dias de intensos debates e grandes espetáculos. A abertura do festival acontece a partir das 19h, no Espaço Osório Júnior, seguida da apresentação do espetáculo “Raimunda Pinto, Sim Senhor!” no Theatro 4 de Setembro.


Foto: Tainá Azeredo


Há 18 anos em cartaz, a premiada peça do Grupo Harém de Teatro, escrita pelo dramaturgo piauiense Francisco Pereira da Silva, é uma das obras do vestibular da Uespi deste ano. Logo depois de “Raimunda Pinto”, acontece a estreia do espetáculo “Ângela”, no Teatro Estação, seguido pelo show das bandas Batuque Elétrico e Os Olivêra no Espaço Cultural Trilhos.


Foto: Tainá Azeredo


Além de espetáculos nos teatros 4 de Setembro, Estação e João Paulo II, a programação do FestLuso 2010 conta com oficinas, shows e é palco para a realização do 2º Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbio. O evento vem dar continuidade ao encontro realizado em Coimbra em dezembro de 2009 e mantém como objetivo principal: estimular o diálogo entre agentes culturais e instituições oficiais quanto à concepção, à planificação e à concretização das políticas de intercâmbio cultural no seio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Uma das atrações mais esperadas dessa edição é o show do cantor Jorge Mautner com um dos maiores guitarristas do Brasil, Nelson Jacobina. Na última semana, a coordenação do FestLuso viu-se obrigada a cortar 60% de sua programação por conta da retirada do apoio do governo do Estado e a apresentação seria cancelada. Ao saber da situação do festival, os músicos se disponibilizaram a vir mesmo sem os recursos garantidos e se apresentarão com a banda Validuaté no sábado (20), no Espaço Trilhos. O novo espetáculo de Lucélia Santos, “As Traças da Paixão”, que faria a abertura do evento, teve de ser substituído pelo mesmo motivo.

Patrocinado pela Oi e com apoio cultural do Instituto Oi Futuro, o FestLuso 2010 coloca à disposição do público toda a sua programação, que pode ser consultada no www.festluso.blogspot.com, com entrada franca. O festival conta ainda com apoio do Ministério da Cultura, Funarte e Siec.


Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro tem a missão de democratizar o acesso ao conhecimento para acelerar e promover o desenvolvimento humano. O principal foco das ações do instituto de responsabilidade da Oi é a promoção de um futuro melhor para os brasileiros, reduzindo distâncias geográficas e sociais. Os programas Oi Tonomundo, Oi Kabum! (escolas de arte e tecnologia), NAVE e Oi Novos Brasis atendem 600 mil crianças e jovens, desenvolvendo metodologias educacionais inovadoras, promovendo a inclusão digital e fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de professores e educadores da rede pública. O Oi Conecta, um programa em parceria com o Governo Federal, leva banda larga a mais de 40 mil escolas públicas, beneficiando cerca de 26 milhões de alunos. Na área cultural, O Oi Futuro atua como gestor do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um  em Belo Horizonte (MG), além do Museu das Telecomunicações nas duas cidades. O Oi Futuro apóia, ainda, projetos aprovados pela Lei de Incentivo ao Esporte. A Oi foi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos sócio-educativos inseridos na nova Lei.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Governo volta atrás e garante 30% do apoio original ao FestLuso

Depois da repercussão na imprensa local, nacional e internacional sobre o cancelamento de grande parte da programação do FestLuso 2010, o governo do Piauí cedeu às pressões e garantirá ao festival 30% do apoio total anteriormente prometido.

Na noite da última quinta-feira (11), o governador reeleito Wilson Martins anunciou que o estado não tinha condições de arcar com o patrocínio para o evento. Com a retirada do apoio, a coordenação geral do FestLuso viu-se obrigada a realizar cortes em sua programação. Foram cancelados os espetáculos locais, uma parte dos nacionais, shows de bandas locais e a mostra de teatro de rua.

Os músicos Jorge Mautner e Nelson Jacobina solidarizaram-se com a situação do evento e decidiram manter o show na programação, independentemente da falta de recursos.

A coordenação do FestLuso lembra, que mesmo diante da revisão de decisão do governo, o quadro de espetáculos não poderá ser completamente restabelecido. A programação já foi adaptada e não contará, por exemplo, com a vinda da nova peça de Lucélia Santos, “As Traças da Paixão”. A abertura do evento, na próxima segunda-feira (15) às 19h, agora será feita pelo próprio Grupo Harém, idealizador do evento, com a já consagrada “Raimunda Pinto, Sim Senhor”.

As atrações mantidas continuarão à disposição do público com entrada franca, pois o Harém acredita em seu trabalho pela democratização da cultura.
                                                                               

Nova programação do FestLuso 2010

1.   ESPAÇO CULTURAL OSÓRIO JUNIOR
15.novembro – 19h - segunda-feira
SOLENIDADE DE ABERTURA OFICIAL DO FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO – FESTLUSO - 2010 e ABERTURA DO II ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE POLÍTICAS DE INTERCÂMBIOS NA CPLP.

                     
2.   THEATRO 4 DE SETEMBRO
15.novembro – 20h30 - segunda-feira
RAIMUNDA PINTO, SIM SENHOR- Grupo Harém de Teatro – Teresina-Piauí

16.novembro – 20h30 - terça-feira
A DESCOBERTA DAS AMÉRICAS – Julio Adrião e Allesandra Vannucci – Rio de Janeiro – Brasil

17.novembro – 20h30 - quarta-feira
O FALAR NON TEN CANCELAS - Cándido Pazó – Galicia – Espanha

18.novembro – 20h30 - quinta-feira
A CAVAQUEIRA DO POSTE – Grupo de Teatro Mutxeco – Maputo – Moçambique

19.novembro – sexta-feira
10h O TAMANHO DA MINHA ALTURA - Cia. Gato Que Ladra – Lisboa – Portugal.
20h30 – NEGRO DE ESTIMAÇÃO – Kleber Lourenço – Recife – Pernambuco – Brasil

20.novembro – sábado
20h30 - HOTEL KOMARCA – Grupo Teatral HenriqueArtes – Luanda – Angola

21.novembro – domingo
20h30 - QUANDO AS MÁQUINAS PARAM – Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil / Teatro Extremo – Almada – Portugal

3. MUSEU DO PIAUÍ
16.novembro - terça-feira
II Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbios na CPLP
10H às 12h30 - Mesa-redonda
I.Formação cruzada: enriquecer com a diversidade.
14:30h às 17h30 - Mesa-redonda
II. Co-produções: juntar forças e diferenças.
17.novembro  - quarta-feira
II Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbios na CPLP
10  às 12h30 - Mesa-redonda
III. Festivais de Teatro e Circulação de espetáculos: O encontro como base para o conhecimento
14h30 às  17h30 - Debate
IV Comunidade Artística e Poder Político: fórmulas para o diálogo

20.novembro – 10h – sábado
Encontro de Diretores Lusófonos(Sala Torquato Neto)

3.   TEATRO MUNICIPAL JOÃO II – Dirceu Arcoverde
16.novembro – 18h30 - terça-feira
A BIRRA DO MORTO – Projeto Teatral Odisséia - Luanda – Angola
17.novembro – 18h30 - quarta-feira
SOL SANGUÍNEO –  Grupo Indigente de Teatro– Timon – MA – Brasil
18.novembro – 18h30 - quinta-feira
O FALAR NON TEM CANCELAS - Abrapalabra Creacións Escénicas – Galicia – Espanha
19.novembro – 18h30 - sexta-feira
QUANDO AS MÁQUINAS PARAM – Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil / Teatro Extremo – Almada – Portugal
20.novembro – 18h30 – sábado
A CAVAQUEIRA DO POSTE - Grupo de Teatro Mutxeco - MaputoMoçambique

4.   TEATRO ESTAÇÃO
15.novembro – 23h - segunda-feira
ÂNGELA – Oficina de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI - Brasil

16.novembro – 23 h - terça-feira
OS AMANTES – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – IC - Ilha de São Vicente – Cabo Verde

17.novembro – 23h - quarta-feira
OS AMANTES – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português no Mindêlo - Ilha de São Vicente – Cabo Verde

18.novembro – 23h - quinta-feira
A CASA DE BERNARDA ALBA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil

19.novembro – 23h - sexta-feira
A CASA DE BERNARDA ALBA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil

20.novembro – 23h – sábado
A CASA DE BERNARDA ALBA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil

6. ESPAÇO CULTURAL TRILHOS
·        16.novembro – 00h - terça-feira
Apresentação de publicação Revista  Setepalcos nº 9: O Teatro em Cabo Verde
Shows Musicais  Zaqueu Jonas e Projeto Estação 86
·        20.novembro – 00h – sábado
FESTA DA LUSOFONIA
Show Musical com Validuaté e Jorge Mautner

7.    OFICINAS
16.novembro – terça-feira
09h às 13h - Direção de Atores
Minitrante: Maria João Miguel
Local: Palácio da Música

17.novembro –quarta-feira
09 às 13h - Direção de Atores
Minitrante: Maria João Miguel
Local: Palácio da Música

18.novembro –  quinta-feira
09h às 13h - Direção de Atores
Minitrante: Maria João Miguel
Local: Palácio da Música

14h às 17h - Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola de Teatro Gomes Campos

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio  Barros
Local: Palácio da Música

19.novembro – sexta-feira
14h às 17h - Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola de Teatro Gomes Campos

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio  Barros
Local: Palácio da Música


20.novembro –sábado
09h às 12h – Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio  Barros
Local: Palácio da Música

Teatro Extremo divulga nota de repúdio a falta de apoio do governo do Piauí a festival

Comunicado

Foi com mágoa, consternação e enorme pesar que aqui em Portugal recebemos a notícia do terrível acontecimento que se abateu sobre a edição deste ano do FestLuso e que castiga injustificadamente o Harém de Teatro e o público do Piauí.

O Teatro Extremo, sediado em Almada, Portugal, parceiro artístico do Harém de Teatro há mais de dez anos, assistiu com regozijo ao nascimento do FestLuso em 2009 e foi das primeiras estruturas a participar no que seria essa enorme realização, num estado sempre considerado marginal nesse imenso país que é o Brasil.

Com o governo Lula da Silva e com as expectativas criadas em torno do desenvolvimento humano e cultural do povo brasileiro, atreveu-se o Harém de Teatro a concretizar o que há muito vinha sendo maturado nas suas cabeças: um grande festival internacional que nada ficasse a dever a outros que se organizam nos grandes centros, beneficiários há muito de uma política elitista para a cultura, e que tivesse na língua de Camões a argamassa com que se construiria o seu futuro. Um festival internacional sem tradução.

Da experiência pioneira de 2008 chegámos o ano passado à afirmação do FestLuso como um festival de pleno direito do roteiro nacional e internacional, colocando, sem dúvida, Teresina num lugar destacado pela iniciativa e audácia, mas também pela capacidade de cativar centenas de artistas do mundo lusófono e de milhares de espectadores piauíenses e não só, que usufruíram de espectáculos de reconhecida qualidade.

Garantindo de novo espectáculos de grande qualidade e acolhendo o 2º Encontro Internacional sobre Políticas de Intercâmbio na Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), chegamos à edição deste ano do FestLuso, que tanto pela programação como pelas iniciativas, prometia ter em 2010 o ano da sua consagração.

Mas aí dá-se, grande ironia, o verdadeiro golpe de teatro: o Governo do Estado do Piauí, ao arrepio da correcção que se lhe impunha, pois até apadrinhou com a sua presença o lançamento desta 3ª edição, decidiu, sem negociações, deixar de apoiar o festival sugerindo até, sem um certo despudor e com um enorme desrespeito por todos os que nele trabalham mas principalmente pela população do Piauí, que este ano iria assistir de uma forma gratuita aos espectáculos, que se deveria cancelar o Festival.

Perante esta situação o Teatro Extremo e o Festival “Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público”, declaram-se solidários com o Harém de Teatro e com o FestLuso e tanto os artistas que compõem a nossa estrutura bem como todos aqueles com que temos contactado aqui em Portugal, manifestam a sua indignação perante mais um abuso de poder que desrespeita a própria legitimação democrática que o fez eleger há bem pouco tempo, pois estamos em querer que os eleitores que votaram no candidato e governador reeleito Wilson Martins, confiaram que ele se propunha continuar a sua política social e cultural, o que manifestamente não foi o caso.

 Perguntaram ao Plínio Marcos, pouco antes de ele morrer, por que é que as suas peças, depois de tantos anos, continuam a ser representadas, ao que ele respondeu que elas continuam actuais porque o Brasil não evoluiu. Pelo que podemos comprovar nesta atitude lamentável, pelo menos quem detém as rédeas do poder não evoluiu mesmo.

Jorge Mautner: "Vou ao FestLuso com ou sem recursos"

A retirada do apoio do governo do Estado do Piauí ao FestLuso 2010 abalou a equipe, convidados, público e imprensa, que se depararam com o cancelamento de 60% da programação do evento. Dentro dos cortes, estaria incluída a participação dos músicos Jorge Mautner e Nelson Jacobina.


Ao saber das condições do FestLuso na manhã desta sexta-feira (12), Jorge Mautner não titubeou: confirmou presença e disse que virá com ou sem recursos. "É irreversível. Eu e Nelson vamos de qualquer jeito", afirmou o músico ao coordenador geral do festival Francisco Pellé. A atitude de Mautner, solidária ao FestLuso, é mais uma mostra da importância e magnitude do evento no cenário nacional e internacional.

A apresentação de Jorge Mautner está mantida para o próximo dia 20, às 23h, no Espaço Cultural Trilhos com a participação da banda Validuaté. O show será gratuito assim como os outros espetáculos que acontecerão no Theatro 4 de setembro.

Cancelamento de parte da programação do FestLuso 2010 repercute na imprensa internacional

O cancelamento de cerca de 60% da programação da 3ª edição do Festival de Teatro Lusófono repercutiu na imprensa internacional, dada a importância do evento. Na manhã desta sexta-feira (12),  o coordenador geral do FestLuso Francisco Pellé foi entrevistado pela RDP  África, canal de rádio que transmite para Portugal, África e todo o mundo via internet.

A reportagem feita pela jornalista Cristina Magalhães foi veiculada no jornal das 14 horas (horário português), apresentado por João Costa Dias. Nela, Pellé explica as razões do cancelamento e que espaços da programação ainda serão mantidos. 

A RDP África faz parte do grupo RDP, Radiodifusão Portuguesa, que é órgão oficial do governo português. São milhões de ouvintes nesses países integrantes da comunidade lusófona que agora estão a par da situação do FestLuso. 

A coordenação do festival agradece o apoio incondicional da RDP África que continuará acompanhando os próximos dias do FestLuso 2010. A transmissão online pode ser conferida aqui: http://tv1.rtp.pt/wportal/popups/player.php?canal=4

Abaixo a entrevista cedida por Francisco Pellé à RDP África:


video

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Mindelact lamenta corte na programação do FestLuso 2010

COMUNICADO


Foi com enorme alegria que soubemos, e vivenciamos de forma militante, do aparecimento do FestLuso  no ano de 2008. Não era apenas mais uma festival que nascia. Não era apenas mais um canal de comunicação entre artistas e criadores se comunicando numa mesma língua, a sexta mais falada do planeta. Era – como mostrou na edição seguinte – um exemplo de coragem, tenacidade, competência e, diríamos, atrevimento.

Porquê? Essencialmente porque é periférico. Numa época em que as periferias estão sendo esmagadas pela globalização cultural, um evento como este num local como Teresina é exemplar e nos faz ter esperança de que nem tudo estará perdido.  Entender isto é absolutamente imediato, mais ainda para os próprios habitantes e responsáveis políticos locais. Teresina, que muitos nem sabiam onde ficava no mapa, passou a fazer parte do mapa do(s) teatro(s) do Mundo.

Por isso propusemos e assinaremos um Protocolo de Geminação entre o FesLuso e o Festival Mindelact. – Festival Internacional de Teatro do Mindelo, de Cabo Verde, que nos orgulhamos de manter há 16 anos consecutivos, num pais que compensa o muito pouco dinheiro que tem com a vontade de fazer e a capacidade de realizar sonhos improváveis. Por isso também conhecemos esses adjectivos utilizamos nesta declaração: coragem, tenacidade, competência e claro, atrevimento.


João Branco, diretor artístico do Mindelact

Neste enquadramento, custa muito a entender a decisão do Governo do Estado do Piauí de negar qualquer apoio financeiro para a realização da 3ª Edição do FestLuso e, pior ainda, que essa postura tenha sido anunciada a quatro dias da abertura oficial do evento. A cegueira chegou ao absurdo de propor, de forma irresponsável, o “cancelamento” do evento. Pelo que foi anunciado, na apresentação pública do mesmo festival este mesmo governo se fez representar. Até porque a imprensa estava em peso e ninguém compreenderia, isto que agora foi anunciado e que se pode classificar como um tremendo tiro no próprio pé.

A Associação Mindelact de Cabo Verde, que organiza o festival Mindelact, e se orgulha de ser parceira deste festival de enorme importância regional, nacional e internacional manifesta-se, desta forma, profundamente indignada com o sucedido e vem por este meio vincar a sua solidariedade para com o festival irmão FestLuso.

Terminamos citando um autor, curiosamente especialista em economia, David Landes, no best seller “A Riqueza e a Pobreza das Nações”: se aprendemos alguma coisa na história do desenvolvimento económico é que a Cultura faz toda a diferença. Não entender isto é colocar em causa toda uma região.


Cabo Verde, 11 de Novembro de 2010

João Branco – Director Artístico do Festival Mindelact

Nota oficial da Coordenação Geral do FestLuso

O FestLuso, Festival de Teatro Lusófono, nasceu em 2008 depois de mais de 10 anos sendo gestado. A proposta é provocar um intercâmbio continuado entre os 8 palcos lusófonos: Brasil, Angola, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné Bissau e a recém acolhida região da Espanha, Galícia.

Quando a idéia foi lançada, veio a pergunta: por que algo tão grande em uma cidade deslocada do eixo Rio-São Paulo? Simples. Para deslocar o eixo. E muitos tiveram de engolir a seco os ácidos comentários de que tal iniciativa não daria certo quando, em agosto daquele ano, Teresina se tornava palco mundial da lusofonia. A primeira edição contou com 120 convidados de 7 países falantes da Língua Portguesa. Uma vasta programação polarizada em três teatros: 4 de Setembro, João Paulo II e Estação, além de mostra de rua, oficinas, debates e shows.

No ano seguinte, repetia-se o sucesso e o Piauí conseguia firmar lugar na comunidade lusófona com uma grandiosa segunda edição, a mesma que recebeu a atriz Regina Duarte e lançou o livro “O Morto, Os Vivos e o Peixe-Frito”, do escritor angolano e vencedor do prêmio Jabuti Ondjaki.

O terceiro ano tinha tudo para ser ainda maior: o FestLuso teria a oportunidade de sediar o 2º Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbio em parceria com a entidade portuguesa Cena Lusófona. Com a data alterada por conta do período eleitoral, o festival foi agendado para novembro, de 15 a 21.

Porém, a noite desta quinta-feira (11) a quatro dias da abertura do evento, uma notícia desestabilizou a equipe do festival. O governo do Estado do Piauí negou qualquer apoio financeiro para a realização do tal. Diante das argumentações dos coordenadores, o governador reeleito Wilson Martins alegou falta de recursos e disse: “Cancelem o festival”.

Sem a participação do Estado, o FestLuso vê-se obrigado a cancelar 60% de sua programação, incluindo espetáculos locais, nacionais, mostra de teatro de rua e shows, nessa conta uma das atrações mais esperadas desta edição, o músico Jorge Mautner.

A burocracia também impediu que uma emenda proposta pelo deputado federal Osmar Júnior (PCdoB) para o festival fosse conveniada a tempo no Ministério da Cultura. Resultado: menos recursos.

Contando apenas com o patrocínio da Oi e da Funarte, o FestLuso receberá os grupos internacionais e manterá o Encontro Internacional. A coordenação lamenta que tenha que abrir mão da grandiosidade de seu festival por conta da desconsideração do governo. Ainda que a cultura seja muitas vezes minimizada em detrimento de “causas maiores”, esses operários insistem que não querem só comida. Eles querem comida, diversão e arte.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Abertas as inscrições para oficinas de teatro no FestLuso 2010

Workshops são gratuitos e são destinados a atores experientes ou iniciantes, diretores e cenógrafos.


A 3ª edição do Festival de Teatro Lusófono, que acontece entre os dias 15 e 21 de novembro, traz novidades em sua extensa programação, mas mantém a preocupação em explorar a formação cênica. Por esse motivo, o FestLuso oferece ao público três oficinas de teatro gratuitas.
De 16 a 18 de novembro, a encenadora portuguesa Maria João Miguel ministra a oficina “Direção de atores”. Este workshop tem como objetivo desenvolver o olhar exterior do diretor, alertando-o para a estimulação da auto-escuta do ator, que o permitirá observar e compreender dramaturgicamente cada personagem. O minicurso, direcionado a atores profissionais e estudantes de teatro, acontece na Casa a Cultura de Teresina de 9h às 13h.
Maria João Miguel tem mestrado em Encenação e a direção de mais de 15 espetáculos no currículo em seus 12 anos de carreira.
A Casa da Cultura também recebe, nos dias 18, 19 e 20, a oficina “Ateliê de Interpretação”, ministrada por Antônio Barros, encenador da companhia Escola da Noite. Atores, diretores, cenógrafos e alunos de cursos de teatro terão oportunidade de discutir e compreender em três dias estratégias contemporâneas de conexão entre a encenação e o texto. O workshop será de 14h às 17h.

Antonio Barros
Nos mesmos dias e horário, na Escola de Teatro Gomes Campos, acontece a oficina de Teatro de Rua com o ator Alexandre Santini, do grupo carioca Tá Na Rua. O curso estará centrado na dramaturgia para encenar nas ruas e o trabalho corporal do ator. O Tá Na Rua, criado e dirigido até hoje por Amir Haddad, tem quase 30 anos e é a mais famosa companhia de teatro de rua do Brasil.


Oficina de teatro de rua será oferecida durante FestLuso 2010

As inscrições para as oficinas já estão abertas e sendo realizadas no Teatro Estação, sede do Grupo Harém. O espaço fica localizado na avenida Miguel Rosa, 3003, galpão 3 ao lado da antiga Estação Ferroviária. Maiores informações pelo telefone: (86) 3223-2325.
O FestLuso 2010, que tem patrocínio da Oi e apoio cultural da Oi Futuro, Ministério da Cultura, Funarte e Siec, inova este ano com uma programação inteiramente gratuita. A gratuidade é valida também para as oficinas. Os espetáculos acontecem nos teatros 4 de Setembro, Estação e João Paulo II.

Baterias aquecidas

O Grupo Harém de Teatro e o Ponto de Cultura Nos Trilhos do Teatro aquecem as baterias à reta final de preparação da 3ª. Versão do Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa – III FESTLUSO.

Por Maneco Nascimento


Para o ano em que o Festival deslocou-se do mês contumaz, agosto, para acontecer no agora novembro, de 15 a 21, os espetáculos ganham vida nos palcos do Teatro 4 de Setembro, Teatro Municipal João Paulo II , Teatro Estação e Praças da cidade.

No Museu do Piauí ocorre o II Encontro Internacional sobre Políticas de Intercâmbios na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). A Sala Torquato Neto recebe o Encontro de Diretores Lusófonos. Na Casa da Cultura de Teresina e Escola Técnica de Teatro Gomes Campos, acontecem as Oficinas de Direção de atores; Teatro de Rua e a de Ateliê de Interpretação. Os Shows musicais e Festa da Lusofonia terão sede no Espaço Trilhos.

A Mostra de Teatro de Rua será montada na Praça Pedro II(Centro) e na Praça Aberta do Teatro Municipal João Paulo II(bairro Dirceu Arcoverde I). Em ano de recursos encolhidos, o Grupo Harém de Teatro, responsável por toda a maquinaria fordista implementada, terá que ser criativo para não desmerecer os anos anteriores.

A equipe de trabalhos envolvendo desde a Coordenação Geral, Coordenação de Produção, entre outras, conta com 23 componentes do Harém e convidados. Os números de participações que comporão a vida de espetáculos e flexibilização das fronteiras culturais lusófonas são significativos.

Dos 33 participantes entre artistas, técnicos e intelectuais estrangeiros, 16 comporão a reunião da Comunidade de Países da Língua Portuguesa - CPLP. Ao todo, 69 fazedores da cultura cênica serão acolhidos no III Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa - FESTLUSO.

Para o 2º. Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbio, a cidade de Teresina abrigará Augusto Barros – Cena Lusófona – de Coimbra/Portugal; Ánxeles Cuña Bóveda – Sarabela Teatro – Oeirense, da Galiza/Espanha; Cândido Pazó, da Galiza/Espanha; Naní Pereira – Festival de Artes de Luanda - Angola.

De São Tomé e Príncipe, representando o Centro Cultural de Intercâmbio de São Tomé e Príncipe, virá Ayres Major; João Branco – Centro Cultural de Mindelo, de Cabo Verde; Zulu Araújo – Fundação Palmares, do Brasil; Márcio Meirelles – Secretaria de Cultura da Bahia; Creuza Borges – Circuito Português de Teatro.

A Cooperativa Cultural Brasileira será representada por Marília Lima. Do estado de São Paulo, respondendo pelo Festival Português de Teatro de São Carlos virá Almir Martins. E do Grupo de Teatro Tá na Rua, o Encontro recebe Alexandre Santini.

Boas discussões, sugestões às novas luzes e brilhos planejados em mentes mapeadas ao teatro lusófono fortalecerão a cena brasileira e estrangeira que se fará teatro livre nos dias que correrão de 15 a 21 de novembro de 2010.

O Teatro Lusófono para gregos, romanos e sacerdotes fiéis das artes cênicas abre as portas de palcos e praças brasileiros dessa terra chamada Teresina/PIAUÍ e recomenda em oração primordial: Evoé, nau dos artistas!